Trombose

O que é?

Trombose é a formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo sanguíneo). Pode ocorrer em uma veia situada na superfície corporal, logo abaixo da pele, sendo denominada tromboflebite superficial, tromboflebite ou flebite.

Quando o trombo se forma em veias profundas, no interior dos músculos, caracteriza a trombose venosa profunda ou TVP. Em qualquer localização, o trombo provoca uma inflamação na veia, podendo permanecer restrito ao local inicial de formação ou se estender ao longo da mesma, ocasionando sua obstrução parcial ou total.

Quais as causas?

Há pessoas que possuem fatores de risco para adquirir a doença, mas existem também situações que podem desencadear a doença (as situações de risco).

Fatores individuais de risco
– idade acima de 40 anos
– obesidade
– indivíduos que já tiveram trombose
– varizes
– uso de anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal
– câncer
– gestação e período pós-parto
– dificuldade de movimentação
– indivíduos com anormalidade genética do sistema de coagulação

Situações de risco
– traumatismos e politraumatismo
– cirurgias prolongadas
– anestesia geral
– imobilização por longos períodos
– hospitalização prolongada
– doenças cardíacas ou respiratórias graves
– infecção grave

Quais os sintomas?

Nas veias superficiais há aumento de temperatura e dor na área afetada, além de vermelhidão e edema (inchaço). Nas veias profundas o que mais chama a atenção são o edema e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode aparecer apenas na panturrilha e no pé ou se destacar na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Em alguns casos, também pode surgir coloração azulada na perna.

Como é feito o diagnóstico?

A tromboflebite superficial pode ser detectada com base apenas nos sintomas e com um exame clínico da veia afetada. No entanto, a TVP nem sempre surge com sintomas tão exuberantes, dificultando seu diagnóstico. Para ter segurança, o médico solicita, então, exames especiais como o Eco Color Doppler ou a flebografia. Há especialistas que pedem ainda um exame de sangue para dosagem de uma substância, chamada Dímero D, que se apresenta em níveis elevados quando ocorre uma trombose aguda.

Como é feito o tratamento?

Se a trombose é superficial recomendam-se cuidados especiais, tais como aplicação de calor na área afetada, elevação das pernas e uso de anti-inflamatórios não esteróides por um período de uma a duas semanas. Às vezes, há ainda a necessidade de tratamento cirúrgico.

Na TVP pode ser necessário ficar internado nos primeiros dias a fim de fazer uso de anticoagulantes injetáveis (que previnem o crescimento do trombo e diminuem o risco de embolia pulmonar). Atualmente, esta etapa já pode ser evitada com o uso de medicamentos de baixo peso molecular, injetados pelo próprio paciente no espaço subcutâneo da barriga. Depois, o tratamento segue com o uso de anticoagulantes orais por um período de três a seis meses. Concomitante com esta medicação, o paciente deve fazer repouso com as pernas elevadas e usar meia elástica adequada. Existem procedimentos de exceção para coibir complicações, tais como: colocação de filtro de veia cava, remoção do coágulo (trombectomia) e angioplastia com stent (dispositivo aramado e recoberto com um tecido que evita com que a veia se feche novamente).

Como prevenir?

A principal é fazer o sangue venoso circular, facilitando seu retorno ao coração. Mas recomenda-se também:
– fazer caminhadas regularmente;
– procurar movimentar os pés como se estivesse pedalando uma máquina de costura (casos em que é necessário permanecer sentado por muito tempo);
– mover-se discretamente como se estivesse andando sem sair do lugar (quando estiver em pé e parado).
– falar com seu médico sobre a possibilidade de usar alguma medicação preventiva em viagens de longa distância.
– fazer movimentos com os pés e as pernas quando permanecer acamado. Se necessário, solicite ajuda de alguém.
– evitar fumar e o sedentarismo.
– controlar o peso.
– consultar regularmente seu médico caso faça uso de hormônios ou já foi acometido ou tenha histórico familiar de trombose;
– usar meia elástica se seu tornozelo inchar com frequência;
– nunca se automedicar.

Sua saúde é essencial. Não perca tempo e agende já sua consulta.