Pílula causa trombose?

A trombose está relacionada, basicamente, a três principais fatores:

1- estase venosa – caracterizada pela diminuição da circulação sanguínea, que pode acontecer quando a pessoa fica muito tempo parada, na mesma posição (viagens longas e cirurgias que obrigam o indivíduo a ficar muito tempo na cama)

2- lesão do vaso – diz respeito a lesões que podem ocorrer no interior dos vasos (ruptura, infecções), associadas até mesmo ao uso do cateterismo e pela introdução de medicação na veia. Essa ferida pode levar à formação de trombos (pequenos coágulos).

3- hipercoagulabilidade – acontece quando há um desequilíbrio que aumenta o poder dos agentes coagulantes do sangue. Assim como o uso de anticoncepcionais, grávidas, diabéticos e pessoas com predisposição genética à trombose fazem parte desse grupo.

A combinação de hormônios como a progesterona e o estrogênio, que compõem a pílula, pode provocar alterações no sistema de coagulação do sangue, que facilitam a formação de trombos no interior da veia. De qualquer forma, segundo os médicos especialistas, o risco ainda assim é pequeno em pessoas com boas condições de saúde.

No entanto, eles alertam que em alguns grupos específicos, com fatores como obesidade, histórico familiar, tabagismo, varizes, doenças pulmonares e cardíacas, as chances de ter uma intercorrência são maiores.

Por isso, o ideal é sempre consultar um médico antes de decidir o que usar. A melhor opção para cada mulher deve ser avaliada individualmente.

Voltar