clinicabessaago21
clinicabessaago21

Colesterol

O que é
É um álcool complexo que só viaja pelo corpo na companhia de duas famosas lipoproteínas — o LDL (mau colesterol) e o HDL (bom colesterol) – que se encarregam de transportá-lo com segurança e impedir que seja facilmente dissolvido. Essencial ao organismo, ele desempenha funções vitais: serve de matéria-prima para a produção de hormônios, do ácido biliar (regula a digestão) e da vitamina D e entra na construção de membranas celulares. Então, o jeito é manter suas taxas no devido lugar. Os valores considerados ideais no sangue dependem dos fatores de risco da pessoa:

Adultos saudáveis:
• Colesterol total até 200 mg/dl
• LDL menor que 160
• HDL acima de 40 (mulheres devem ter essa taxa acima de 50)

Quem tem mais de dois fatores de risco
(fumo, hipertensão, histórico familiar, obesidade):
• LDL abaixo de 130
• HDL acima de 45 (mulheres acima de 50)

Pessoas com doenças coronarianas ou diabete:
• LDL menor que 100
• HDL maior que 45 (mulheres acima de 50)

Perigos do colesterol elevado
O acúmulo do colesterol em excesso altera o endotélio (camada que recobre internamente as artérias, facilitando o depósito de outras substâncias, como cálcio e fibrina). O resultado é a temida placa ou ateroma, recheada de gordura por dentro. A pressão exercida sobre ela é tão grande que pode provocar uma inflamação e até o seu rompimento. Nos dois casos há perigo de infarto ou derrame.

Como ele se forma
Cerca de 70% do colesterol é produzido pelo próprio corpo. O restante vem dadieta. Ele está presente nos alimentos de origem animal como carne, gema do ovo, frios, embutidos, leite integral, manteiga e queijos. O HDL tem o papel de recolher o LDL em circulação e levá-lo de volta ao fígado para ser eliminado, mas não consegue transportar quantidades gigantes de LDL. Por isso, o excesso do mau colesterol, seja por causa de uma dieta inadequada ou de um desequilíbrio orgânico, vai se acumulando na parede das artérias, o que estreita os vasos a ponto de impedir a passagem do sangue.

Tratamento
Para a maior parte dos pacientes, ajustes na alimentação (dieta rica em frutas e verduras e pobre em gorduras) e uma rotina de exercícios (40 minutos de exercícios aeróbicos como natação, caminhada ou corrida todos os dias) bastam para derrubar os excessos do colesterol no sangue. Mas tem gente que não consegue esse feito só com a mudança de hábitos. Para essa turma, as estatinas são a melhor aliada, pois bloqueiam a síntese de colesterol no fígado e, com isso, disparam a demanda dessa substância. O resultado é um aumento dos receptores de LDL que acabam tirando de circulação esse vilão. Com esse mecanismo, conseguem derrubar os níveis de LDL em até 65%.

Prevenção
O ideal é começar a dosagem do colesterol aos 20 anos e repeti-la a cada cinco se não houver alterações importantes. Se houver outros fatores de risco (como obesidade, diabete, cigarro ou hipertensão) ou o resultado for elevado, a repetição do exame deve ser feita a cada dois anos. Além disso, comece o quanto antes a adotar bons hábitos. Veja algumas dicas:
– Reduza o consumo de carne vermelha, substituindo-a por frango ou peixe;
– Troque os queijos amarelos pelos brancos;
– Prefira as margarinas com fitosterol que comprovadamente reduzem a absorção do colesterol;
– Aumente o consumo de fibras solúveis, encontradas na aveia, nos feijões e em frutas como a maçã;
– Aposte nos alimentos ricos em antioxidantes como as frutas cítricas e as folhas verde escuras;
– Exercite-se todo dia por, no mínimo, meia hora;
– Abandone já o cigarro, que lesiona a parede dos vasos.

Conhecimento é saúde! Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest