clinicabessaago21
clinicabessaago21

Dengue

O que é
Uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus e transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais. Existem duas formas da doença – a clássica e a hemorrágica (mais severa podendo levar até a morte) – e quatro tipos diferentes de vírus: sorotipos 1, 2, 3 e 4. Atualmente, a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública de todo o mundo.

Transmissão
Seu principal vetor é o mosquito Aedes aegypti que, após um período de 10 a 14 dias (contados depois de picar alguém contaminado), pode transportar o vírus da dengue durante toda a sua vida. O ciclo de transmissão ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após este período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas.
O Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Costuma picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. O indivíduo não percebe a picada, pois no momento não dói e nem coça.

Sintomas
O intervalo entre a picada e a manifestação da doença chama-se período de incubação (geralmente dura de 2 a 7 dias, mas pode chegar a 15 dias). É depois desse período que os sintomas aparecem:

Dengue Clássica
· Febre alta com início súbito
· Forte dor de cabeça
· Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos
· Perda do paladar e apetite
· Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores
· Náuseas e vômitos
· Tonturas
· Extremo cansaço
· Moleza e dor no corpo
· Muitas dores nos ossos e nas articulações

Dengue Clássica
Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta:
· Dores abdominais fortes e contínuas
. Vômitos persistentes
· Pele pálida, fria e úmida
· Sangramento pelo nariz, boca e gengivas
· Manchas vermelhas na pele
· Sonolência, agitação e confusão mental
· Sede excessiva e boca seca
· Pulso rápido e fraco
· Dificuldade respiratória
· Perda de consciência

Na dengue hemorrágica o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas. De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica morrem.

Tratamento
A reidratação oral é uma medida importante e deve ser realizada durante todo o período de duração da doença e, principalmente, da febre. O tratamento da dengue é de suporte, ou seja, alívio dos sintomas, reposição de líquidos perdidos e manutenção da atividade sangüínea. A pessoa deve manter-se em repouso, beber muito líquido (inclusive soro caseiro) e só usar medicamentos prescritos pelo médico para aliviar as dores e a febre.
As pessoas que já contraíram a forma clássica da doença devem procurar, imediatamente, atendimento médico em caso de reaparecimento dos sintomas agravados com os sinais de alerta, pois correm o risco de estar com dengue hemorrágica.

Prevenção
O grande problema para combater o mosquito Aedes aegypti é que sua reprodução ocorre em qualquer recipiente utilizado para armazenar água, tanto em áreas sombrias como ensolaradas. Por exemplo: caixas d’água, barris, tambores, vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, tanques, cisternas, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores e muitos outros onde a água da chuva é coletada ou armazenada. Assim, a prevenção e as medidas de combate exigem a participação e a mobilização de toda a comunidade a partir da adoção de medidas simples, visando a interrupção do ciclo de transmissão e contaminação.

Medidas para evitar as picadas de mosquito
Espirais ou vaporizadores elétricos: devem ser colocados ao amanhecer e/ou no final da tarde, antes do pôr-do-sol, horários em que os mosquitos da dengue mais picam.
Mosquiteiros: devem ser usados principalmente nas casas com crianças, cobrindo as camas e outras áreas de repouso, tanto durante o dia quanto à noite.
Repelentes: podem ser aplicados no corpo, mas devem ser adotadas precauções quando utilizados em crianças e idosos, em virtude da maior sensibilidade da pele.
Telas: usadas em portas e janelas, são eficazes contra a entrada de mosquitos nas casas.

Medidas para eliminação dos locais de reprodução do mosquito
Tampar os grandes depósitos de água: a boa vedação de tampas em recipientes como caixas d’água, tanques, tinas, poços e fossas impedirão que os mosquitos depositem seus ovos. Esses locais, se não forem bem vedados, permitirão a fácil entrada e saída de mosquitos.
Remover o lixo: o acúmulo de lixo e de detritos em volta das casas pode servir como excelente meio de coleta de água de chuva. Portanto, as pessoas devem evitar tal ocorrência e solicitar sua remoção pelo serviço de limpeza pública – ou enterrá-los no chão ou queimá-los, onde isto for permitido.
Fazer controle químico: existem larvicidas seguros e fáceis de usar, que podem ser colocados nos recipientes de água para matar as larvas em desenvolvimento.
Limpar os recipientes de água: não basta apenas trocar a água do vaso de planta ou usar um produto para esterilizar a água, como a água sanitária. É preciso lavar as laterais e as bordas do recipiente com bucha, pois nesses locais os ovos eclodem e se transformam em larvas.

Conhecimento é saúde! Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest