clinicabessaago21
clinicabessaago21

Fisioterapia esportiva

O futebol é a modalidade esportiva mais praticada no mundo com participantes de todas as faixas etárias e de diferentes níveis. São aproximadamente 400 milhões de adeptos (30 milhões estão no Brasil) e mais de 200 milhões de atletas licenciados de acordo com a Federação Internacional de Futebol (FIFA).

O futebol caracteriza-se por apresentar grande contato físico e movimentos curtos, rápidos e não contínuos – tais como aceleração, desaceleração, mudanças de direção, saltos e pivoteamento – que podem gerar um alto número de lesões. Muitas necessitam de cuidados médicos intensos, algumas até com períodos variáveis de internação, resultando no afastamento das atividades e em altos custos de tratamento.

A fisioterapia aplicada à área esportiva dedica-se não somente ao tratamento do atleta lesado, mas também a adoção de medidas preventivas a fim de reduzir a ocorrência de lesões. O trabalho preventivo é delineado de maneira eficaz com base no levantamento dos fatores de risco das lesões referentes à modalidade esportiva específica.

No período que antecede as competições, os atletas são avaliados com o objetivo de detectar possíveis alterações biomecânicas e neuromusculares que podem predispor a lesões. A partir dessa avaliação, o fisioterapeuta elabora um plano de treinamento de caráter preventivo.

Já os atendimentos aos atletas lesionados, condição inerente ao esporte e freqüente durante todo o ano, segue o seguinte protocolo: o jogador é encaminhado ao Departamento Médico-Fisioterápico para avaliação médica e fisioterapêutica e para elaboração do diagnóstico e do tratamento a ser realizado (prescrito e supervisionado pelo fisioterapeuta). Quando necessário também são solicitados exames complementares como ultrassom, ressonância magnética, tomografia computadorizada e radiografia.

O retorno do atleta é progressivo e gradual e deve respeitar o equilíbrio entre a capacidade do atleta e a demanda de suas atividades. O processo de veto e liberação do atleta para a prática esportiva, treinos e jogos é uma decisão conjunta entre médico e fisioterapeuta.

Como o futebol é um esporte que exige do atleta um grande condicionamento cardiorrespiratório, força muscular e flexibilidade, os atletas treinados adequadamente sofrem um menor número de lesões. Para o treinamento ideal de cada jogador é necessário conhecer os aspectos intrínsecos (características da pessoa como biótipo, história de lesões prévias, capacidades físicas desenvolvidas e presença de alterações biomecânicas) e os aspectos extrínsecos (originados externamente e que agem sobre o corpo humano como os acessórios esportivos utilizados e a condição do gramado).

Os erros de treinamento são os maiores responsáveis pelas lesões esportivas, cerca de 60%. O retorno da reabilitação precoce também tem sido relatado como fator de risco de lesões esportivas. Uma porcentagem alta de lesões recorrentes aparece em diversos estudos, conseqüência de um dano prévio cuja recuperação foi incompleta e que pode ter resultado em maior fragilidade tecidual.

Portanto, a fisioterapia esportiva, mais especificamente relacionada ao futebol, possui importante papel não só no processo de tratamento e reabilitação do atleta, mas também na implementação de medidas de caráter preventivo para minimizar a ocorrência de lesões.

Bruno Gorgatte – Crefito 3 / 77732 – F
Especialista em Fisioterapia Esportiva e Fisioterapeuta do Departamento Médico
de Futebol do Sport Club Corinthians Paulista.

Douglas Toffoli – Crefito 3 /33379 – F
Especialista em Acupuntura e Fisioterapeuta do Departamento Médico 
de Futebol do Sport Club Corinthians Paulista.

Dr. Ricardo Galotti – CRM 82909
Ortopedia e Medicina Esportiva. Médico do Departamento Médico 
de Futebol do Sport Club Corinthians Paulista.

Conhecimento é saúde! Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest