clinicabessaago21
clinicabessaago21

HPV

O que é
É a sigla em inglês para papiloma vírus humano. O HPV é um vírus capaz de provocar lesões de pele ou mucosa. Na maior parte dos casos, elas têm crescimento limitado e habitualmente regridem espontaneamente.

Classificações
Existem mais de 200 tipos diferentes de HPV. Os de tipo 6 e 11 são de baixo risco de câncer e os tipos 16, 18, 31, 45, 58 e outros trazem alto risco de câncer.

Transmissão
Acontece pelo contato direto com a pele infectada. O HPV genital é transmitido por meio das relações sexuais, podendo causar lesões na vagina, no colo do útero, pênis e ânus. Também existem estudos que demonstram a presença rara do vírus na pele, na laringe (cordas vocais)
e no esôfago.

Lesões
As infecções mais comuns na região genital são as verrugas genitais (conhecidas como “crista de galo”). As lesões que não apresentam nenhum sintoma podem progredir para o câncer do colo do útero caso não sejam tratadas precocemente.

Diagnóstico
As verrugas genitais encontradas no ânus, no pênis, na vulva ou em qualquer área da pele podem ser diagnosticadas pelos exames urológico (pênis), ginecológico (vulva) e dermatológico (pele). Já o diagnóstico subclínico das lesões precursoras do câncer do colo do útero, produzidas pelo papilomavírus, é feito através do exame citopatológico (exame preventivo de Papanicolau). A confirmação se dá por meio de exames laboratoriais de diagnóstico molecular como o teste de captura híbrida e o PCR. No caso dos homens pode ser pedida a peniscopia (exame realizado através de uma lente de aumento).

Tratamentos
Tópico, com laser e cirúrgico, mediante indicação médica.
Criocirurgia – congela e destrói o tecido anormal, Laser – corta ou destrói o tecido doente, CAF – remove e cauteriza a lesão, ATA – aplica ácido diretamente nas lesões, Conização – retira o tecido em forma de cone com auxílio de laser ou CAF, Medicamentos – melhora o sistema de defesa do organismo.

Prevenção
O uso de preservativo (camisinha) diminui a possibilidade de transmissão na relação sexual (apesar de não evitá-la totalmente). Por isso, sua utilização é recomendada em qualquer tipo de relação sexual, mesmo naquela entre casais estáveis.

Vacinas
Protegem as mulheres e seu uso é recomendado antes do início da atividade sexual, tendo expressão máxima se usada aos 11 ou 12 anos, ou para mulheres que já passaram desta faixa etária, de 13 a 26 anos.
O valor profilático é considerado alto com proteção de 95% e tem duração estimada de cinco anos.

Conhecimento é saúde! Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest