clinicabessaago21
clinicabessaago21

Osteoporose

O que é
É caracterizada pela diminuição da massa óssea a tal ponto que os ossos ficam “porosos” como uma esponja e sujeitos a um número maior de fraturas e acidentes. Esta doença ocorre principalmente durante o processo normal de envelhecimento, atingindo com mais freqüência às mulheres, uma vez que elas possuem ossos menos maciços em relação aos homens.
Um outro fator que torna as mulheres mais suscetíveis a esta doença, é a queda bastante acentuada de estrogênio que elas sofrem durante a menopausa. Calcula-se que, após a menopausa, uma em cada três mulheres desenvolvam a doença. Entre os homens, a freqüência é de quase 10% após os 65 anos de idade.

Causas
O esqueleto é a principal fonte de cálcio do organismo. Assim, sempre que o corpo precisa, “retira” um pouco do cálcio dos ossos, e o repõe depois através da alimentação. Com a idade, este mecanismo vai se desequilibrando e, se a pessoa não tem uma boa reserva de cálcio, vai ficando com os ossos cada vez mais fracos.
Na maioria das vezes, a doença se deve à falta de um hormônio feminino, o estrogênio, que ajuda a proteger os ossos e é produzido em quantidade muito menor após a menopausa. Mas há outras causas secundárias para o problema como a baixa produção de hormônios masculinos, a diabete, a artrite, o alcoolismo, o uso continuado de corticóides e problemas na tireóide.

Fatores de risco
Genéticos – raça branca ou asiática, história familiar, baixa estatura e massa muscular pouco desenvolvida;
Estilo de vida – baixa ingestão de cálcio, sedentarismo, exercício excessivo levando a amenorréia (ausência de menstruação), pouca exposição solar, tabagismo, alcoolismo, dieta vegetariana e alta ingestão de proteínas e de cafeína;
Ginecológicos – menopausa precoce sem reposição hormonal, primeira menstruação tardia, retirada cirúrgica de ovários sem reposição hormonal, ligadura das trompas, retirada cirúrgica parcial do útero e risco de diminuição da função ovariana por insuficiência vascular.

Sintomas
A osteoporose progride sem sintomas por um longo tempo até que os ossos começam a se quebrar. No primeiro momento, surgem micro fraturas (muitas vezes na região da coluna, o que causa encurvamento e diminuição da estatura). Depois, ocorrem grandes fraturas, principalmente nos ossos do quadril, da coluna, das pernas- e dos punhos.
Por esta sua característica silenciosa, ela pode passar completamente despercebida. Entre as pessoas mais idosas, quase 50% ficam dependentes da ajuda de outras pessoas pelo resto da vida, e cerca de 20% acabam morrendo no primeiro ano depois da fratura, pois ficam imobilizadas e, muitas vezes, confinadas por um longo tempo, além de serem submetidas a cirurgias complicadas.

Diagnóstico
O atual critério para diagnóstico de osteoporose é a perda de 25% de massa óssea quando comparada com adulto jovem. É detecção acontece por meio de densitometria óssea e estudo radiológico (mostra alterações inequívocas quando há perda de 30% da massa óssea).

Tratamento
As drogas utilizadas no tratamento da osteoporose atuam diminuindo a
reabsorção óssea ou aumentando sua formação. São elas: agentes anti-reabsortivos, estrógeno, calcitonina e bisfosfonatos, cálcio, vitamina D3, fluoreto de sódio e/ou paratohormônio (PTH) intermitente em doses baixas. Além disto, exercícios de carga são recomendados como coadjuvantes ao tratamento, em qualquer idade. Os indivíduos não-osteoporóticos também devem ser estimulados a caminhar e correr. A manutenção de musculatura potente e a destreza que a prática de exercícios e esportes mantém ajudam a prevenir as quedas. Os idosos devem ser aconselhados a evitar calçados com solado de couro, escadas sem corrimão, movimentos bruscos, tapetes soltos, assoalho encerado e outros fatores de risco para quedas.

Prevenção
Além da realização permanente dos exames de densidade óssea e dos marcadores ósseos, a prevenção deve ser feita em três níveis:

Alimentação rica em cálcio e Vitamina D:
Os ossos são feitos de cálcio. Por isso, é um nutriente fundamental
para a saúde. Outro nutriente que não pode faltar é a vitamina D que auxilia o organismo a absorver o cálcio. Os alimentos ricos em cálcio e Vitamina D são: leite e derivados (iogurte, queijo etc.); folhas verdes (alface, agrião, espinafre etc.); peixes de águas profundas (salmão, sardinha etc.) e derivados de soja.
A pessoa também deve evitar o excesso de álcool e cafeína (cinco xícaras de café por dia são omáximo permitido) e tomar sol regularmente para estimular a produção da vitamina D.

Atividade física regular:
Os melhores exercícios para prevenir a osteoporose são os de impacto que obrigam os ossos a manter o ritmo de regeneração. Os mais indicados são a caminhada (ou a corrida, para os mais jovens) e a musculação (sem sobrecarga).

Tratamento dos problemas que podem provocar a doença:
A reposição hormonal após a menopausa (ou andropausa, para os homens) é necessária por vários motivos, incluindo a prevenção da osteoporose. Mas este é um tratamento que nem todas as pessoas podem fazer. Por isso, somente um médico poderá indicá-lo, após diversos exames.

Conhecimento é saúde! Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest