clinicabessaago21
clinicabessaago21

Problemas do sono

Enquanto você dorme
O corpo produz hormônios que fazem as crianças crescerem e reparam as células e os tecidos. Durante o sono também há estimulação dos centros nervosos do cérebro que ajudam na capacidade de raciocínio, concentração e memorização.

Horas de sono
Os bebês devem dormir cerca de 18 horas, as crianças até os 5 anos, entre 12 e 15 horas; os adolescentes, por volta de 9 horas; e os adultos, entre 7 e 9 horas.

Prejuízos
Tirar horas de sono significa ter menos qualidade de vida: a pessoa tem mais chances de apresentar problemas de pressão arterial, sonolência exagerada, alterações de humor, dificuldades para memorizar, aprender, raciocinar e pensar.

Distúrbios mais comuns
Os principais são: ronco, insônia, apnéia obstrutiva do sono e a síndrome das pernas inquietas.
ronco esforça a musculatura respiratória para além de seus limites e pode sobrecarregar o trabalho do coração e ainda causar infarto ou derrame cerebral.
insônia é a dificuldade de iniciar o sono, mantê-lo continuamente durante a noite ou o despertar antes do horário desejado. Estes episódios podem estar relacionados com preocupações (viagem, compromissos, reuniões, provas etc.), problemas clínicos e problemas emocionais passageiros, mas podem se tornar crônicos e provocar muito sofrimento ao longo dos anos.
Já a apnéia consiste na obstrução da via aérea (região da garganta) durante o sono, levando a uma parada da respiração (em média 20 segundos) que faz o paciente acordar, emitindo um ronco muito ruidoso. O grave da apnéia é que a oxigenação sangüínea pode expor o paciente a problemas cardíacos ou derrame.
síndrome das pernas inquietas se caracteriza principalmente por uma sensação desagradável nas pernas (similar a uma coceira, friagem, choque, formigamento) que promove uma imensa necessidade de a pessoa mover, massagear ou alongar as pernas. Nos casos mais graves esta inquietação é tanta que o paciente não consegue iniciar o sono.

Diagnóstico
Os médicos precisam traçar um perfil de cada paciente antes de indicar o tratamento. Por isso costumam fazer perguntas sobre o tempo de evolução do problema, a freqüência dos sintomas, a causa e a intensidade. Também indicam a polissonografia, um exame no qual o paciente dorme no hospital monitorado por sensores para avaliar as fases do sono e se tem alguma doença que afeta o descanso.

Tratamentos
No caso do ronco o objetivo é eliminar a fonte de vibração com medidas como emagrecimento, uso de aparelhos ou técnicas cirúrgicas.
Para a insônia os médicos recomendam medicamentos. Recentemente entrou em cena a terapia TCC (muito comum na Europa e nos Estados Unidos) na qual ele aprende a dissociar os problemas, ou seja, perder o foco na insônia e administrar as questões – o problema e o sono – separadamente.
Na apnéia as alternativas são cirurgia, uso de respiradores artificiais e exercícios para melhorar a função dos músculos ao redor da garganta.
Já a síndrome das pernas inquietas é aliviada com mudanças de hábitos e/ou medicamentos.

Para dormir bem
– Procure chegar em casa pelo menos três horas antes do horário de dormir (neste intervalo são indicados tomar banho, ler e relaxar – mas não pense que esta atitude resultará em noite bem-dormida, pois a expectativa gera ansiedade e isso atrapalha!).
– Não vá para a cama sem sono e tampouco use-a para planejar o dia seguinte, ler ou assistir TV.
– Evite consumir alimentos excitantes ou comer muito perto da hora de dormir.

Conhecimento é saúde! Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest