clinicabessaago21
clinicabessaago21

Vasinhos | Telangiectasias

O que é
Conhecidos como Telangiectasias, na prática, são fios avermelhados (da espessura de um fio de cabelo) localizados na parte mais superficial da pele. Costumam aparecer nas pernas, no rosto (pioram com a exposição ao sol e com o uso de medicamentos tópicos à base de ácido retinóico e corticóides), colo, seios, abdome, costas, pernas e pés por terem sido submetidos a alguma pressão e dilatarem. Trata-se de um incômodo exclusivamente estético (isto quando vasos mais grossos não se esconderem atrás da teia de aranha avermelhada).

Causa
A causa é ainda discutida, mas parece que está relacionada à genética de cada indivíduo, gravidez, obesidade ou sedentarismo. Outras possibilidades são: problemas hormonais (como excesso de progesterona), pílula anticoncepcional (elas contêm progesterona sintética que prejudica os vasos), tabagismo (o cigarro deixa as paredes das veias mais frágeis), uso constante de sapatos com salto alto e atividades que obriguem a pessoa a ficar longos períodos de pé ou sentada.

Diferenças entre vasinhos, microvarizes e varizes
A principal é a espessura – os vasos medem entre 0,1 mm e 1 mm de diâmetro; as microvarizes, de 1,1 mm a 3 mm, e as varizes têm mais de 3 mm. Vale esclarecer que as microvarizes (cor azul ou azul-esverdeada) e as varizes (cor azulada) são provocadas por problemas circulatórios e se instalam nas pernas e nos pés, causando dores, trombose ou feridas de difícil cicatrização. Ocorre o impedimento da passagem do sangue que desce pelas artérias e retorna ao coração pelas veias, resultando em sangue acumulado, dilatação da veia, por fim, varizes.

Complicações 
Na maioria dos casos, os vasinhos não prejudicam a saúde. Ocorre que podem surgir ondulações azuladas – principalmente nos tornozelos e pés — e se houver atrito essas pequenas veias podem romper, provocar sangramentos ou mesmo feridas difíceis de curar. Nessas ocorrências é necessário procurar um especialista. Além disso, a mulher que realmente estiver se sentindo incomodada com sua aparência deve procurar seu médico vascular.

Tratamentos
Para os localizados em áreas como face, colo, seios, abdômen e costas, o único tratamento é o raio laser no qual na região afetada um aparelho emite flashes intensos de luz que atravessam a pele e atingem os vasos superficiais a uma temperatura suficiente para queimá-los e destruí-los.
Já os vasinhos situados em outras regiões podem ser combatidos com Escleroterapia (um líquido injetado no vaso destrói as paredes e faz com que ele se feche) ou Crioescleroterapia (similar à escleroterapia, mas com produto com 40 graus negativos). Vale reforçar que o diagnóstico e o tratamento devem ser feitos apenas por um médico especializado – no caso, um cirurgião vascular.

Reincidência 
Os métodos disponíveis tratam essas veias definitivamente. Porém,
a hereditariedade e os outros fatores que desencadeiam o problema podem fazer com que o quadro se repita, mas sempre em outros vasos.

Prevenção
Fazer exercícios físicos com regularidade e controlar o excesso de peso.
O importante é movimentar os músculos da panturrilha, onde ficam cerca de 90% dos vasos e das veias que levam o sangue dos pés até o coração.

Dr. Carlos Bessa – CRM 52.356
Especialista em cirurgia vascular periférica pela Sociedade Brasileira de Angiologia e pela Associação Médica Brasileira e especialista em cirurgia vascular pelo Conselho Federal de Medicina com pós-graduação em cirurgia endovascular pela Santa Casa de São Paulo.

Conhecimento é saúde! Compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest